O que é a Síndrome de Ménière? Quais os sintomas e tratamentos?

A síndrome de Ménière, ou doença de Ménière, descrita pela primeira vez por Prosper Ménière, no início do século 19, é um distúrbio do ouvido interno, caracterizado por crises vertiginosas (tonturas rotatórias), perda auditiva, zumbidos (tinidos) e sensação de pressão auricular parecida com a que ocorre com a mudança de altitude.

A doença de Ménière (hidropsia endolinfática) ocorre quando há o acúmulo da endolinfa, líquido que existe dentro do labirinto da orelha interna, provocando uma distensão deste compartimento com aumento de pressão interna. 

Esta pressão provoca alteração nos sinais enviados ao cérebro, causando a sensação de desequilíbrio e tontura.

É uma doença que acomete mais as pessoas entre 30 e 50 anos, sendo que ela pode ocorrer em qualquer idade, inclusive em crianças, tendo-se notado um maior número de casos em pessoas do sexo feminino.

Síndrome de Ménière ou Doença de Ménière? Qual é a forma correta de falar?

Utiliza-se a denominação de síndrome de Ménière quando se sabe a causa que provocou o distúrbio, agora se a causa não é conhecida a denominação utilizada é doença de Ménière.

Quais os sintomas da síndrome de Ménière?

 Os sintomas da síndrome ou doença de Ménière relatados são:

  • Vertigem (sensação de rotação e perda de equilíbrio);
  • Surdez  flutuante – alternando  entre o agravamento e a melhora de cada crise;
  • Zumbido (tinnitus);
  • Sensação de ouvido entupido, igual o que ocorre em mudança de altitude.

As crises da doença de Ménière ou síndrome de Ménière variam de pessoa para pessoa, ocorrendo repentinamente, com duração de minutos ou horas, podendo ser leves ou severas ou até mesmo não apresentar todos sintomas. Para alguns, pode ocorrer várias vezes no mês e em outros pode levar meses ou anos para uma nova crise.

A síndrome ou doença de Ménière não incapacita, mas, durante as crises mais severas, podem ocorrer náuseas e vômitos e dificuldade para caminhar, obrigando o paciente a manter repouso absoluto.

Os sintomas podem ser sentidos inicialmente em apenas um ouvido, mas com a progressão da doença atingir o outro ouvido.

Como o Ménière pode progredir? 

Nos estágios iniciais da doença, as pessoas experimentam crises de vertigem e perda auditiva ou zumbido, que retornam ao normal entre as crises.

Conforme a doença progride ao longo de muitos meses ou anos, a perda auditiva de baixa frequência pode estar presente entre as crises e, em um estágio mais tardio, pode ocorrer  para muitos, de forma permanente, a perda parcial da audição e do equilíbrio.

A doença de Ménière tem cura?

A doença de Ménière não tem cura, mas existem tratamentos para atenuar os sintomas na maioria dos casos.

Em  muitos casos, após 8 anos da doença, cerca de 70% dos pacientes deixam de sentir os sintomas da doença de Ménière, porém os problemas gerados por ela ao longo dos anos, como perda parcial da audição e do equilíbrio tornam-se permanentes. 

Quais as causas da síndrome?

A causa exata da doença de Ménière não é conhecida, mas existem estudos que a relacionam aos seguintes agentes causadores:

  • Alergias,
  • Sífilis
  • Causas genéticas (malformações)
  • Otite média crônica
  • Otosclerose 
  • Distúrbio do metabolismo (mudanças nos níveis de glicose e de oxigênio nessa área)
  • Traumas
  • Autoimunidade
  • Hipotireoidismo
  • Enxaqueca
  • Estresse
  • Leucemia

Como é feito o diagnóstico da síndrome ou doença de Ménière?

O diagnóstico da síndrome ou doença de Ménière é eminentemente clínico, baseando-se no histórico e nos sintomas do paciente, além dos critérios para diagnóstico da síndrome de Ménière estabelecidos pela Academia Americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço abaixos:

  • Constatação da ocorrência de dois episódios de vertigem com duração mínima de 20 minutos;
  • Constatação de perda auditiva através do exame audiométrico;
  • Presença de zumbido (tinnitus).

Como é o tratamento da síndrome ou doença de Ménière? Quais os remédios para a síndrome de Menière?

Os tratamentos existentes para síndrome ou doença de Ménière são basicamente para controle da doença, visto que não existe tratamento específico ou definitivo e são realizados de forma a controlar a vertigem, o zumbido e a progressão da perda auditiva e o desequilíbrio.

Em 90% dos casos, a doença pode ser controlada combinando o tratamento medicamentoso, terapias e alterações no modo de vida e nos casos restantes que não se consiga o controle pelos métodos mencionados, serão necessários a utilização de diferentes procedimentos cirúrgicos.

O tratamento medicamentoso utiliza de :

  • Remédios para vertigem;
  • Diuréticos;
  • Remédios para náusea;
  • Corticóides;
  • Vasodilatadores.

Ainda para controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida das pessoas portadoras da síndrome ou doença de Ménière, o médico poderá indicar:

  • Utilização de aparelho auditivo para melhorar a audição;
  • Terapia de reabilitação vestibular, exercícios próprios para ajudar o corpo a maximizar o equilíbrio
  • Terapia com dispositivo Meniett, aparelho que permite a aplicação de pressão positiva no ouvido médio, visando a melhoria dos sistemas vestibulares, embora a vertigem e o desequilíbrio tendem a retornar após o tratamento.

A mudança de alguns hábitos torna-se importante para reduzir os efeitos da síndrome de Ménière como:

  • A redução ou eliminação do consumo de cafeína, cigarro, álcool;
  • Evitar situações estressantes e causadoras de processo alérgico;
  • Reduzir o consumo de sódio;
  • Aumentar o consumo de potássio; 
  • Fazer dietas balanceadas;
  • Praticar exercícios regularmente.

Naqueles casos que não respondem ao tratamento clínico, as chamadas vertigens incapacitantes com a sensível perda da função auditiva, o tratamento cirúrgico é o recomendado, tendo como primeira opção a labirintectomia química, que é a injeção de gentamicina ou dexametasona no ouvido para destruir o labirinto doente.

Se não obtiver resultado, pode-se fazer uma cirurgia para remoção do labirinto doente ou ainda a secção do nervo vestibular, todas cirurgias de caráter destrutivo. Além delas há a cirurgia para descompressão do saco endolinfático, visando a redução ou melhora das vertigens, mas com resultados discutíveis na solução do problema.

Apesar do avanço da medicina, a síndrome de Ménière ainda é um desafio e sem o diagnóstico e cuidados necessários, ela pode causar a perda progressiva da audição. 

Portanto, ao sentir os sintomas relacionados procure a assistência médica para um preciso diagnóstico, visto que alguns sintomas são comuns a outras enfermidades e terão tratamentos efetivos para cada caso.