Perda Auditiva em Crianças

A perda auditiva é a incapacidade total ou parcial, para ouvir o som em uma ou ambas as orelhas, e pode ser leve, moderada, severa ou profunda, podendo haver necessidade de aparelhos auditivos.

Causas

As causas podem ser:

Pré-natal, isto é, aquelas adquiridas durante a gestação, que são: desordens genéticas , doenças infecto-contagiosas (como a toxoplasmose, a sífilis, a rubéola, a citomegalovirose e o herpes), uso de remédios ototóxicos, de drogas ilícitas ou de álcool pela mãe, e a exposição à radiação.

Perinatal, causas que ocorrem antes, durante ou logo após o parto, como anóxia, parto fórceps, icterícia neonatal e eclampsia.

Pós-natal, ou seja, pós o nascimento, como otite média serosa, infecções (meningite, sarampo, caxumba e sífilis adquirida), remédios ototóxicos em excesso e sem orientação médica, e o traumatismo craniano.

Sintomas

Os sinais de perda auditiva em bebês variam conforme a idade. Por exemplo:

* Um bebê até três meses de idade acorda ou assusta com barulho alto.
* De três a seis meses, um bebê procura ou localiza a origem do som.
* De seis a doze meses um bebê localiza a fonte sonora e balbucia alguns sons.
* De 12 meses a 24 meses, compreende ordens e fala algumas palavras.
* Aos dois anos de idade evolui a fala, aumenta o vocabulário e complexidade das frases.

Caso a criança não reagir como o esperado, deve-se procurar um médico otorrinolaringologista ou um fonoaudiólogo urgente para uma avaliação da audição.

Algumas crianças podem ser diagnosticadas tardiamente.Portanto, desatenção, não conseguir acompanhar os deveres em sala de aula pode ser o resultado de um problema não diagnosticado.

Exames e Testes

Hoje em dia com o Teste da Orelhinha, obrigatório em maternidades e hospitais públicos e privados de todo o País e realizado nos primeiros dias de vida do bebê, pode ser feita a constatação precoce do problema.
O exame realizado no Teste da Orelhinha é a Emissões Otoacústicas Evocadas (EOAs). É indolor, utilizando um pequeno fone na parte externa do ouvido, com duração média de 3 a 5 minutos. Além deste, há um outro exame complementar para diagnosticar a perda auditiva na criança chamado de BERA (Potencial Auditivo Evocado de Tronco Encefálico).

Tratamento

O tratamento pode incluir:

– Aparelho Auditivo
– Implante coclear
– Multidisciplinar
– Aconselhamento genético

O tratamento da causa da perda auditiva podem incluir:

– Os medicamentos para infecções
– Tubos da orelha para infecções de ouvido repetidas
– A cirurgia para corrigir problemas estruturais

Prevenção

Não é possível evitar todos os casos de perda auditiva em recém-nascidos.

As mulheres que estão planejando engravidar devem se certificar de que estão em dia com todas as vacinas.

As mulheres grávidas devem consultar seu médico antes de tomar qualquer medicação. Se estiver grávida, evite atividades que possam expor o seu bebê de infecções perigosas, como a toxoplasmose.

Se você ou seu parceiro tem um histórico familiar de perda auditiva, você pode querer obter aconselhamento genético antes de engravidar.

Nomes alternativos

Surdez – RN; deficiência auditiva – RN; A perda auditiva condutiva – crianças, perda auditiva neurossensorial – crianças, perda auditiva central – RN

Comments

Leave a Comment