Segundo um novo estudo, realizar uma triagem para verificar problemas de audição nas primeiras semanas de vida das crianças traz benefícios posteriores à vida delas, especialmente quando as intervenções detectam rapidamente qualquer deficiência. Nos EUA, por exemplo, entre um e quatro em cada mil bebês nascidos têm uma deficiência auditiva, o que torna este defeito o mais comum nos nascimentos.

Desde que a recomendação americana de que todos os recém-nascidos tivessem sua audição examinada tornou-se amplamente adotada na última década, mais casos estão sendo detectados mais cedo do que a idade média anterior de 3 anos. Hoje, cerca de 97% dos recém-nascidos nos EUA são examinados. A Holanda também abraçou essa triagem auditiva universal entre seus recém-nascidos. E, como nos EUA, a adoção foi gradual.

Os médicos afirmam que a audição é essencial para o desenvolvimento da fala e da linguagem. Portanto, eles acreditam que o tratamento precoce da perda auditiva, como este estudo parece indicar, resulta no futuro em melhor discurso e uso da linguagem.

Quando a perda auditiva é encontrada, muitos tratamentos podem ser realizados, como aparelhos auditivos, implantes internos de ouvido e programas de desenvolvimento da fala e linguagem. Estes tratamentos têm benefícios em todas as idades, mas o ganho é muito maior em fornecê-los no início da vida, pois esse é o momento em que o cérebro infantil está preparado para este tipo de experiência e aprendizado.

Na Holanda, os pesquisadores aproveitaram a diversidade de métodos de triagem durante o período de implantação do método para avaliar os custos da nova estratégia e seus benefícios.

O estudo incluiu mais de meio milhão de crianças holandesas. Eles analisaram os resultados de quase 600 mil bebês nascidos entre 2003 e 2005, comparando as crianças nascidas nas regiões em que a triagem auditiva neonatal já havia se tornado a norma, com os nascidos em uma região onde a norma era um teste comportamental realizado em torno da idade de 9 meses.

Entre as crianças submetidas à triagem neonatal, menos de uma (0,78) em 1.000 foram diagnosticadas com perda auditiva. Da mesma forma, 0,73 de cada 1.000 bebês foram diagnosticados com perda auditiva através do teste comportamental.

Comparado ao teste comportamental, os pesquisadores descobriram que a triagem neonatal levou a um melhor desenvolvimento social e motor aos 3 a 5 anos de idade. Essas crianças também pontuaram mais em termos de qualidade de vida global.

Dois tipos diferentes de testes de triagem auditiva podem ser usados. Em um deles, chamado de emissões otoacústicas, um fone de ouvido e um microfone em miniatura são colocados na orelha do bebê. Sons são reproduzidos, e uma resposta é medida. Se o bebê ouve normalmente, um eco volta para o canal auditivo e é captado pelo microfone. Se o bebê tem algum problema de audição, o eco não é ouvido.

No outro teste, chamado audiometria de tronco encefálico, os sons são reproduzidos nos ouvidos do bebê e eletrodos são colocados em sua cabeça para detectar respostas. Este teste mede a forma como o nervo auditivo responde aos sons, e pode identificar bebês com perda auditiva. Ambos os testes são seguros e confortáveis.

Apesar dessa triagem inicial ser extremamente importante, os pesquisadores notaram que, infelizmente, nem todos os problemas de audição detectados no estudo foram seguidos por intervenções precoces.

Além disso, eles afirmam que a triagem auditiva neonatal não exclui a hipótese dos bebês desenvolverem perda de audição mais para frente.

Segundo os cientistas, os pais das crianças devem levar os resultados da triagem auditiva neonatal a sério. Além disso, mesmo que os testes das crianças dêem um resultado normal, elas devem ter sua audição examinada novamente se houver atraso notável na fala ou se os pais notarem uma diminuição da sua resposta a sons.

No século 21, as sociedades desenvolvidas são dependentes de altos níveis de alfabetização. Os pesquisadores advertem que a compreensão e produção de palavras é a chave para a alfabetização. Assim, os programas de testes, tais como a triagem auditiva neonatal, que atingem resultados mais elevados de desenvolvimento e qualidade de vida, tornam-se importantes para o futuro bem-estar da sociedade

Fonte: HypeScience

Leave a Comment